Um urso no meu quintal

Um urso no meu quintal

Um urso no meu quintal

Por: Thais Berlinck

Nasci e cresci na cidade de São Paulo, por isso posso dizer que durante boa parte da minha vida fui basicamente urbana. Claro, sempre que possível eu viajava para a praia ou para o campo, mas não como rotina. O que via diariamente eram muitos prédios, pessoas e vez ou outra pernilongos e baratas (Eca, odeio!). Animais selvagens e perigosos, só no zoológico… Até que mudei para a Flórida!

Pouca gente imagina, mas quem mora aqui sabe: a Flórida é um zoológico a céu aberto. Especialmente nas regiões mais próximas a florestas, lagos e córregos. E, convenhamos, tem lago para todo lado. Mudei para cá na metade de 2016 e já encontrei uma série de animais selvagens em um raio de poucos quilômetros da minha casa, como veados, esquilos, guaxinins, águias, falcões, cobras, jacarés, raposas, coiotes e até o famoso urso negro da Flórida. Inclusive, foi com um deles que tive uma das experiências mais incríveis da minha vida.

Meus pais estavam nos visitando e resolveram passear de carro a noite. Só que o carro estava parado na rua. Saímos a pé até que um vizinho gritou que um urso tinha acabado de deixar o nosso quintal. Com o coração disparado, corremos rapidinho para o carro. Meus três filhos, que estavam dentro de casa, quiseram participar da aventura. Então entramos na garagem para que eles pudessem chegar ao carro com segurança.

 

Um urso no meu quintal

 

O urso seguiu seu caminho, do nosso quintal até a esquina, ao encontro do seu filhote. Coisa mais linda. Era uma mãe preocupada com o seu bebê! Assustado, o pequeno subiu na árvore para se proteger. E nós continuamos no carro observando em silêncio. Ou pelo menos tentando, já que as crianças estavam eufóricas. A mãe permaneceu no chão, bem na frente da árvore por cerca de 40 minutos. Parecia tranquila, mas vigilante. Ficamos lá aguardando pacientemente o momento que ela também subiria. Era noite, por isso, precisamos posicionar o carro de forma que ele iluminasse o cenário. Depois de uma longa – mas satisfatória – espera, a dona ursa iniciou a subida. Incrível como um animal desse tamanho consegue escalar uma árvore com tanta facilidade e rapidez. Foi uma cena linda e inesquecível!

Depois desse dia, tive ainda o privilégio de observar alguns ursos passeando pelo meu condomínio, outros atravessando a rua da escola das crianças. Alguns durante o dia, outros a noite. Em uma das vezes, um exemplar atravessou a avenida bem em frente ao meu carro às 8:45 da manhã. Tive que diminuir a velocidade para não atropelá-lo. Em outro momento, um urso estava em uma calçada e um pedestre passou caminhando do lado oposto. Pensa que o urso se exaltou? Por incrível que pareça, ele não deu nem bola!

Quando mudei para cá, escutei algumas histórias de ursos, mas confessor que foi difícil acreditar que eles pudessem conviver com as pessoas de forma pacífica. E agora posso dizer: sou testemunha de que isso é possível.

Ok, pode confessar, você deve estar pensando “Qualquer dia essa louca se dá mal”. Não é bem assim. Acho lindo observar os animais em seu habitat natural, mas com segurança de dentro do meu carro. Se eu estivesse a pé e encontrasse com um, acho que teria um ataque de tremedeira.

 

Vamos agora a alguns fatos e curiosidades:

• Os ursos negros são a única espécie de ursos encontrada na Flórida.

• Estima-se que há cerca de 4.050 exemplares desses animais em todo o estado.

• Eles correm a cerca de 35 milhas por hora (ou 56 kms/h). Portanto, se encontrar com um não adianta fugir feito uma louca. Mantenha a calma e saia de mansinho. Sem olhar diretamente nos olhos do animal para ele não se sentir ameaçado.

• Também não é recomendado subir em árvores para se esconder dos ursos. Eles são excelentes alpinistas. Conseguem facilmente escalar uma árvore de 100 feet (ou 30 metros) em apenas 30 segundos! Inclusive, a mamãe ursa manda os filhotes lá para cima sempre que sente alguma movimentação estranha.

• Um macho adulto costuma medir de 1,5m a 1,8m de extensão e pesar de 250 a 350 libras (ou 113 kg a 159 kg). No entanto, os maiores exemplares dessa espécie foram vistos em 2015 no condado de Seminole, onde moro. Cada um deles tinha aproximadamente 750 lbs ou 340kg.

• A fase de reprodução vai de junho a agosto e os filhotes costumam nascer entre final de janeiro e começo de fevereiro.

• Os machos vivem de 15 a 25 anos e as fêmeas, por volta de 30 anos.

• Cerca de 80% da dieta de um urso negro consiste em frutas, castanhas, plantas e mel; 15% de insetos (como formigas e cupins); e 5% de carne (guaxinins, veados, gambás, tatus e carniça).

• A mistura entre o interesse por carniça e o olfato bem aguçado tem trazido os ursos negros da Flórida para áreas urbanas não tão distantes das florestas. Eles circulam esporadicamente por cidades e condomínios à procura de comida em latas de lixo, no entanto, evitam o contato com humanos.

• Apesar de não serem considerados uma ameaça, recomenda-se cautela. Uma delas é não deixar a porta garagem aberta. Isso porque muitos americanos guardam lá uma geladeira extra e os animais sabem disso. Há diversos relatos de moradores que esqueceram de fechar a porta da garagem e foram surpreendidos por um urso literalmente assaltando a geladeira, com a pata lá dentro pegando comida, bem ao estilo Zé Colmeia. É pouco ou quer mais?

 

Garagens gigantes em Port Orange Flórida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *